Campanha para doação de leite materno

    O Ministério da Saúde, em parceria com a Rede Global de Bancos de Leite Humano e o Programa Iberoamericano de Bancos de Leite Humano, lançou nesta sexta-feira (18), em São Paulo, a campanha nacional: Doe Leite Materno, Ajude quem Espera por Você.

Veja o vídeo da campanha:

Conheça também o passo a passo para a doação de leite materno:

 

    Benefícios para o bebê: O leite materno protege contra diarreias, infecções respiratórias e alergias. Diminui o risco de hipertensão, colesterol alto e diabetes, além de reduzir a chance de desenvolver obesidade. Crianças amamentadas no peito são mais inteligentes, há evidências de que o aleitamento materno contribui para o desenvolvimento cognitivo.

    Benefícios para a mãe: Reduz o peso mais rapidamente após o parto. Ajuda o útero a recuperar seu tamanho normal, diminuindo o risco de hemorragia e de anemia após o parto. Reduz o risco de diabetes. Reduz o risco de desenvolvimento de câncer de mama e de ovário. Pode ser um método natural para evitar uma nova gravidez nos primeiros 6 meses desde que a mãe esteja amamentando exclusivamente (a criança não recebe nenhum outro alimento) e em livre demanda (dia e noite, sempre que o bebê quiser) e ainda não tenha menstruado.

Obrigado, até uma próxima.

Campanha de vacinação contra gripe

Nesta época do ano, com a mudança climática, muitas pessoas enfrentam problemas com gripes e resfriados.

Por este motivo o Ministério da Saúde realiza a Campanha Nacional de Vacinação Contra a Gripe, que neste ano ocorre entre os dias 23 de abril e 1.º de junho. A entidade atesta que a vacina é segura e salva vidas, reduzindo o risco de internações por pneumonias entre 32% e 45%.

Calcula-se que mais de 54,4 milhões de pessoas devem ser vacinadas nesse período em todo o país. A vacina protege o paciente contra o vírus influenza nos tipos A, B e C.

Devem ser vacinadas pessoas a partir de 60 anos, crianças de 6 meses a 5 anos, trabalhadores da área de saúde, professores de rede pública e privada, povos indígenas, gestantes e puérperas (mulheres até 45 dias de pós parto), detentos, funcionários do sistema prisional  e portadores de doenças crônicas não transmissíveis. Para este último grupo é necessário apresentar prescrição médica ao se vacinar.

É importante ressaltar que os resfriados são causados por outros vírus, apesar de terem sintomas parecidos com os da gripe. Os sintomas mais característicos da gripe são: a febre alta, associada a dor muscular, de garganta, coriza e tosse seca. A transmissão ocorre por contato com as secreções das vias respiratórias, acontecendo quando o enfermo tosse ou espirra. Nos resfriados, os sintomas são mais leves e duram entre 2 a 4 dias. Não é comum ter febre durante um resfriado.

Se você faz parte do grupo de risco citado, procure o posto de saúde mais próximo e não deixe de se proteger!

FONTES: Ministério da Saúde e Anvisa

Maquininha esperta

A recém lançada solução de pagamentos com cartões de crédito/débito pela CloudMed, a plataforma DoctorPay, mal chegou no mercado e já traz novidades que facilitam a vida de clínicas e consultórios com a divisão automática de pagamentos.

A nova funcionalidade permite a utilização de uma lista de serviços que, relacionados com cada profissional prestador de serviço, traz uma tabela de preços pré-definidos que informa à maquininha quais os valores exatos a serem distribuídos para cada conta, de acordo com o serviço escolhido. Em outras palavras, cada profissional tem uma lista de serviços precificados, já com o valor de repasse e comissão pré-determinados.

A operação é bem simples, neste caso o operador ou operadora que usar a máquina, escolhe agora, além do profissional, um dos serviços relacionados à ele, e assim, o sistema já sabe o valor exato que deve receber do cliente pagador e os valores de repasse e comissão a serem depositados em cada conta.

Por exemplo:

Em uma mesma maquininha, onde se pode ter até 50 profissionais cadastrados para recebimento, cadastra-se uma lista de serviços, cada qual com seu preço cheio (preço a ser pago pelo cliente pagador), o valor de repasse para o profissional e o valor de comissão do estabelecimento (clínica, consultório, academias, salões, etc).

Screen Shot 2018-03-19 at 15.06.57

O operador ou operadora escolhe o profissional e em seguida seleciona o serviço na lista e então finaliza mostrando o valor do serviço ao cliente pagador, que por sua vez insere seu cartão e informa sua senha. Pronto, pagamento realizado com sucesso e tudo em uma transação única, o valor total do serviço é cobrado do cartão do cliente, e uma parte deste valor é lançado na conta do profissional e outra parte (comissão) é lançada na conta do estabelecimento.

Exemplo de tabela de preços e serviços:

Screen Shot 2018-03-19 at 15.21.43

Assista ao vídeo animado para entender mais detalhes do funcionamento da tabela de preços na maquininha DoctorPay.

Para maiores informações, entre em contato com a CloudMed pelo email comercial@cloudmed.io.

 

A Regulamentação do “Uber dos Médicos”

Nesta semana o Conselho Federal de Medicina publicará a Resolução n.º 2.178, onde julga como ético o uso do “Uber da medicina”, no qual  seja possível pacientes entrarem em contato com médicos através de aplicativos. O atendimento deve ser domiciliar.

tecnologia_saude

Uma das exigências do órgão é que todos os profissionais cadastrados possuam Registro de Qualificação de Especialidade (RQE) na área em que fará o atendimento. Os profissionais também devem registrar os prontuários (seja por meio físico ou digital), a fim de disponibilizar as informações para outros médicos e/ou para o paciente, possibilitando o acompanhamento e tratamento.

Se torna necessária a figura de um diretor-médico, que responderá em última instância pela qualidade do atendimento e verificará se o médico recebeu os honorários combinados para o atendimento.

Os aplicativos devem ainda se adequar às regras da publicidade médica. É proibida a divulgação de valores de consultas ou procedimentos em anúncios promocionais, pois, para o CFM esse fato gera concorrência desleal.

Segundo Emmanuel Fortes, a relação das tradicionais visitas domiciliares se altera com essa nova forma de atendimento, e pondera:

“Essa nova modalidade traz grandes desafios, pois há diversas variáveis que fazem com que seja muito tênue a linha divisória entre o que é ético e o que não é ético no exercício profissional. Por isso, é essencial que o CFM regulamente o que deve ser obedecido pelos aplicativos e pelos médicos.”

Apesar de já existirem serviços desse tipo no Brasil, não havia regulamentação específica.

FONTE: Conselho Federal de Medicina

Algoritmo é capaz de detectar ataques cardíacos seis horas antes que ocorram

A empresa médica tecnológica ExcelMedical desenvolveu um software capaz de analisar os dados de pacientes monitorados em hospitais e efetuar cálculo do risco que existe destes sofrerem algum episódio cardiorrespiratório grave.

O algoritmo foi criado com base em milhares de registros médicos de pacientes de hospitais e tem capacidade de detectar uma falha cardiorrespiratória até seis horas antes de sua ocorrência, emitindo alertas aos médicos e enfermeiros.

A grande questão é que o algoritmo é capaz de “vigiar” os dados coletados dos aparelhos de monitoração de diversos pacientes ao mesmo tempo e assim emitir alertas para a equipe médica responsável, alterando o protocolo de reação apenas quando um evento de grande importância ocorra, agindo assim de forma preventiva e ajudando a equipe a tomar decisões que possam salvar a vida do paciente com sinais de piora.

O software analisa cinco variáveis-chave: o ritmo cardíaco, o respiratório, a pressão sanguínea, a temperatura corporal e a saturação de oxigênio, e informa a equipe médica através de aplicativos de celular e computador em tempo real sobre a situação do paciente.

O software utiliza os equipamentos de monitoração já existentes para realizar os cálculos e informar a equipe médica sobre o risco de um importante evento cardiorrespiratório.

Por hora o sistema só pode ser utilizado em Unidades de Terapia Intensiva, mas a esperança da equipe que desenvolveu o software é que algum dia possam aplicar os conceitos utilizado nesta plataforma, de forma a atingir toda a população, antecipando tratamentos e salvando a vida das pessoas.

O sistema batizado de Plataforma Clínica WAVE, foi aprovado pela agência americana que regula os setores de medicamentos e alimentos chamada FDA com o selo de “bom”, e já está em operação em alguns hospitais dos EUA.

Apesar do software ser uma grande evolução, nem sempre uma detecção precoce irá salvar um paciente de um iminente ataque cardíaco ou falha respiratória. O próximo passo da empresa é desenvolver outros algoritmos capazes de detectar outras falhas e antecipar eventos que poderiam causar a morte do paciente como a Septicemia.

Cada vez mais vemos que a tecnologia é essencial para melhorarmos a qualidade e expectativa de vida da nossa população, cada vez mais evitando mortes e auxiliando no tratamento e recuperação de pessoas adoecidas.

 

 

Febre Amarela

Risco de registros urbanos de febre amarela é pequeno, mas é bom ficar atento.

Febre amarela é uma doença viral aguda causada pelo vírus da febre amarela. Na maior parte dos casos, os sintomas incluem febre, calafrios, perda de apetite, náuseas, dores de cabeça e dores musculares, principalmente nas costas.

download.jpg

Os sintomas geralmente melhoram ao fim de cinco dias. Em algumas pessoas, no prazo de um dia após os sintomas melhorarem, a febre regressa, aparecem dores abdominais e as lesões no fígado causam icterícia. Quando isto ocorre, aumenta o risco de insuficiência renal.

Diagnóstico

O diagnóstico é feito através de reação em cadeia da polimerase (PCR), inoculação de soro sanguíneo em culturas celulares; ou pela sorologia. Os sintomas iniciais da febre amarela, dengue, malária e leptospirose são os mesmos. Portanto, é necessário a realização de exames laboratoriais para a diferenciação. A confirmação do diagnóstico de febre amarela não exclui a possibilidade de malária. Da mesma forma que a febre amarela, a dengue e a malária também podem se tornar graves quando o indivíduo aparenta melhora.

Prevenção

A prevenção da febre amarela se dá através do combate aos mosquitos e de vacinação. Nas áreas de risco, a vacinação deve ser feita a partir dos seis meses de vida, enquanto nas outras áreas pode ser a partir dos nove meses. Viajantes que forem para Amazônia ou Pantanal devem tomar um reforço dez dias antes.

Combate ao mosquito
Algumas medidas de combate ao mosquito são:

  • Utilizar água tratada com cloro (40 gotas de água sanitária a 2,5% para cada litro) para regar plantas.
  • Desobstruir as calhas do telhado, para não haver acúmulo de água.
  • Não deixar pneus ou recipientes que possam acumular água expostos à chuva.
  • Manter sempre tapadas as caixas de água, cisternas, barris e filtros.
  • Colocar os resíduos domiciliares em sacos plásticos fechados ou latões com tampa.
  • Não deixar o bico das garrafas para cima.

Vacinação

Pessoas que residem ou viajam para zonas endêmicas de febre amarela devem ser vacinadas. A vacina, com quase 100% de eficácia, tem validade por 10 (dez) anos e uma vacina de reforço é recomendada pelo Ministério da Saúde do Brasil após esse período. A OMS, entretanto, considera uma vacina como suficiente para gerar imunidade por toda a vida. Em 5 de abril de 2017, o Ministério da Saúde mudou a recomendação nacional para o número de doses de vacina contra a febre amarela, passando a recomendar dose única conforme OMS.

Segundo recomendação do Ministério da Saúde do Brasil, mulheres que estão a amamentar devem adiar a vacinação contra a febre amarela até a criança completar seis meses. No Brasil, a vacina contra a febre amarela faz parte do esquema básico da infância nos Estados onde a doença é endêmica. A vacina é composta de vírus atenuado e só faz efeito dez dias após sua aplicação.

Novo Rol de Cobertura dos Planos de Saúde

A partir de 02/01/2018 os planos de saúde devem cobrir 18 novos procedimentos, conforme Resolução Normativa da ANS aprovada em novembro de 2017. A nova cobertura mínima abrange desde exames, terapias, e até mesmo cirurgias em diversas especialidades.

Foi também ampliada a cobertura de mais 7 procedimentos, que incluem medicamentos no tratamento de câncer e esclerose múltipla.

A cobertura faz parte do Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde, sendo obrigatório para todos os planos de saúde novos (contratados a partir de janeiro de 1999) ou adaptados à Lei 9.656/98.

Abaixo você pode conferir, resumidamente, os principais itens incorporados à lista:

Infográfico_principais_inclusões

FONTE: ANS

Caso a operadora não esteja cumprindo a normativa, o consumidor deve procurar a ANS:

Até o próximo post!