Saúde Suplementar e a LGPD

Saúde Suplementar é tudo o que abrange operações de planos e seguros privados de assistência médica à saúde. As operações são regularizadas pela ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) e as operadoras envolvem seguradoras especializadas em saúde, medicinas de grupo, cooperativas, instituições filantrópicas e autogestões.

A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD – Lei 13.709 de 14 de agosto de 2018), que foi sancionada pelo Poder Executivo, corrobora regras de compartilhamento de dados entre entidades privadas, incluindo hospitais e empresas de seguros, propondo melhorias.

O que elas têm em comum?

Após sua aprovação, tudo o que diz respeito ao compartilhamento de informações sem o consentimento do indivíduo pode ser tratado como dados pessoais sensíveis depois que a Medida Provisória (MP 869/2018) foi adicionada à LGPD (artigo 11, § 4º, II) advertindo: “é vedada a comunicação ou o uso compartilhado entre controladores de dados pessoais sensíveis referentes à saúde com objetivo de obter vantagem econômica, exceto nas hipóteses de necessidade de comunicação para a adequada prestação de serviços de saúde suplementar”.

Existe, de fato, a necessidade de troca de informações na área da saúde, e a MP 869/2018 regulamenta essa prática. Os dados não deixarão de ser compartilhados, mas serão tratados com maior cuidado e sigilo, para que cada cidadão possa usufruir de seu direito de privacidade sem preocupações.

De agora em diante, as operadoras de saúde precisam tomar medidas para se adaptar à lei até 2020. Embora alguns pontos ainda estejam vagos, percebe-se que a LGPD se trata de uma grande evolução no país, pois é a primeira sei brasileira a lidar com esse tema, permitindo que o usuário possa comandar suas informações pessoais com privacidade e tranquilidade.

Os prós da Biometria Facial

Há alguns anos, as pessoas enxergavam certas tecnologias como algo muito revolucionário e ficavam receosas em utilizar recursos visto apenas no cinema, como a biometria facial por exemplo. Com o tempo, fomos conhecendo melhor, ampliando horizontes, e então a biometria facial se tornou uma das ferramentas mais conhecidas do mundo atual.

Hoje em dia, qualquer smartphone ou computador pode possuir a biometria facial, o que tem chamado bastante a atenção dos usuários, se tornando item obrigatório na hora de comprar um aparelho novo.

Embora seja muito popular entre os jovens que não largam os celulares, a biometria facial pode ser aplicada em tudo que precise de identificação, como instituições de ensino, agências bancárias, hospitais (clínicas e laboratórios), aeroportos e qualquer tipo de empresa que queira melhorar a segurança e/ou apenas identificar seus funcionários e clientes.

Falando nisso, segurança é um dos prós das biometria facial, pois a ferramenta chega a quase 100% de precisão no reconhecimento, podendo identificar também se o rosto autenticado é um rosto real ou uma foto, sendo um dos métodos mais difíceis de fraudar.

Outra vantagem é a tranquilidade de quem utiliza, pois só é necessário uma câmera comum, evitando gastos altos com instalações e aparelhos múltiplos. Além disso, a biometria facial é um método menos indiscreto na hora de identificar funcionários, clientes, pacientes e etc.

Interessante, não é? Gostaria de adquirir uma plataforma com todos esses benefícios? Desenvolvemos a melhor plataforma de reconhecimento facial, e ela já está disponível, conheça o BioID! Com certeza você vai se surpreender com a precisão e praticidade da plataforma.

Vai ficar fora dessa?!

Saiba tudo aqui: bioid.cloudmed.io
Ou envie um e-mail para: contato@cloudmed.io

Vantagens da T.I.

A área da saúde é, sem dúvida alguma, uma das que mais se beneficia dos avanços da tecnologia, seja para facilitar os diagnósticos precoces, modernizar os procedimentos cirúrgicos ou simplesmente agilizar os atendimentos primários. Em cada pequeno detalhe é possível observar a Tecnologia da Informação em funcionamento, colaborando sempre com o progresso e melhorando nossas vidas.

Hoje em dia, os profissionais da saúde podem guardar todos os dados importantes dos beneficiários em um só lugar através da cloud computing. Desse modo, outros médicos e enfermeiros também terão acesso à tais informações de forma segura, além de evitar eventuais perdas, como poderia acontecer com arquivos de papel, por exemplo, pois na nuvem é possível recuperar arquivos perdidos.

Ademais, um único banco de dados contendo todas as informações em cloud faz com que o atendimento primário seja mais breve e livre de erros, e consequentemente consegue otimizar as consultas, pois as informações são mais completas e rápidas, melhorando o atendimento e favorecendo todos os envolvidos.

A Tecnologia da Informação conseguiu aumentar o envolvimento médico x paciente, e ainda tornar as idas ao hospital mais satisfatórias. A união da TI com a medicina está cada vez mais inseparável, e vem avançando persistente rumo ao sucesso incontestável.

Biometria Facial – solução para combater fraudes

Atualmente sabemos que vários estabelecimentos estão utilizando ferramentas tecnológicas de identificação individual, a fim de evitar fraudes e monitorar quem entra e sai. Antes, usava-se muito os leitores de impressão digital, porém estes são fáceis de fraudar além de serem lentos e pouco efetivos. Agora o que há de mais moderno e eficaz é o reconhecimento facial, que faz a verificação do indivíduo através da imagem digital.

A biometria facial colabora com a segurança de empresas, hospitais, clínicas, fábricas, instituições de ensino e etc, registrando todos os funcionários e visitantes, além de informar imediatamente quando alguém não autorizado tentar acessar o local. Burlar o sistema biométrico facial é muito mais difícil do que a impressão digital, cartões ou um simples código de acesso.

Pensando nisso, a CloudMed Tecnologia lançou recentemente uma plataforma de biometria facial com sistema de gestão, administração e auditoria de ocorrência de possíveis fraudes. O BioID usa complexos algoritmos de reconhecimento facial baseado em Machine Learning e Inteligência Artificial que garante a segurança no reconhecimento de pessoas, mundialmente testado e aprovado.

A plataforma conta com uma completa ferramenta de auditoria que ajuda nas análises das leituras ocorridas, permitindo um acompanhamento em tempo real da tentativa com ou sem sucesso de autorização de procedimentos, além de um completo conjunto de APIs que podem ser utilizadas para fácil integração com qualquer sistema.

Dessa forma, certificamos que o BioID é um maravilhoso aliado à segurança, que otimiza os processos de autorização e ainda deixa seu estabelecimento muito mais moderno e funcional.

Entre em contato conosco para maiores detalhes, teremos o maior prazer em atendê-los: contato@cloudmed.io

Otimização da gestão de OPMEs

Uma das melhores maneiras de otimizar a gestão de OPMEs é através da tecnologia atuando em sincronia com os sistemas integrados, visto que os materiais de alto custo costumam exigir muita atenção quanto aos valores.

Não tem uma só pesquisa que não confirme que os gastos com as OPMEs (órteses, próteses e materiais especiais) são os que mais pesam nos cofres das operadoras de saúde, isso sem mencionar que o comércio concorrente está em constante batalha quanto aos valores. Através dessa perspectiva, fica evidente a importância da gestão de OPMEs para as operadoras e os hospitais, já que a diferença de preço entre uma distribuidora e outra é gigante (também) pela falta de padronização.

De fato, a tecnologia se tornou um item obrigatório na hora de comprar esses insumos, pois através dela é possível analisar a qualidade, procedência e os valores dos produtos. Assim, os auditores terão dados mais claros sobre a economia e as despesas resultantes de cada aquisição, podendo transmitir todas as informações para a operadora.

Os gestores de OPME trabalham sob frequente pressão por resultados, porque os médicos exigem os melhores produtos, enquanto que as operadoras exigem os menores preços. Além disso, o gestor ainda tem normas estabelecidas pela ANVISA, que determinam de que maneira a compra deve ser feita, do começo ao fim.

Sabendo disso, a utilização dos sistemas integrados facilita o trabalho do gestor de OPME, monitorando tudo que entra e sai, quantidades no estoque, valores e claro, fornece todos os dados impostos pelo governo e pela operadora. E mais, a aquisição das OPMEs deve ser efetivada sob licitação, ou seja, requer tempo para poder receber as ofertas e escolher o melhor custo x benefício.

Ou seja, o investimento em tecnologia e sistemas integrados agiliza e simplifica o trabalho desses profissionais da área, tornando o processo de compra mais eficiente e ainda colabora para que as melhores decisões sejam tomadas.

Variação ou fraude?

Aproximadamente 10% do total das despesas assistenciais das Operadoras de Saúde são gastos com Órteses, Próteses e Materiais Especiais (OPME). A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) apresentou um estudo que comprova que a variação dos valores das OPMEs ultrapassa os 3.000%. Para chegar nesta conclusão, utilizaram a endoprótese vascular e os stents farmacológicos como exemplo, pois estes são os materiais implantáveis mais utilizados pelas Operadoras de Planos de Saúde.

Através deste estudo, foi possível verificar grandes variações de preços entre os estados brasileiros, incluindo as condições de compra. Porém, a diferença entre os valores de comércio é inevitável, incluindo as condições de frete, estoque, tributação e etc. Entretanto, haviam variações tão absurdas, que evidenciaram vendas fraudulentas, antiéticas e ilegais

O estudo também exibiu diretrizes de boas práticas na utilização das OPMEs, visando priorizar a clareza nos processos de aquisição para evitar procedimentos cirúrgicos desnecessários e perigosos.

Um questionário foi elaborado e cedido aos beneficiários a fim de melhorar o conhecimento sobre os implantes, e um outro foi cedido aos que já passaram por procedimentos cirúrgicos, explicando quais foram os materiais utilizados em cirurgia, como os eles funcionam e se necessitam manutenção, e quais cuidados pós-operatórios devem ser tomados.

Desde então, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) padronizou a nomenclatura das OPMEs, causando uma revisão mais detalhada nos demais produtos da saúde, revisando também todos as informações das OPMEs, consequentemente. Desse modo, é possível verificar os materiais disponíveis no comércio, comparar os valores, simplificar sistemáticas sanitárias, fiscalizar o mercado e a aquisição dos materiais.

Por fim, hoje em dia já podemos contar com as ferramentas tecnológicas, que tornaram a compra dos materiais especiais mais fácil, e ainda priorizam a qualidade e a ética, otimizando todo o processo e evitando golpes.

Benefícios do Padrão Tiss

Como já dito antes, o Padrão Tiss é um padrão obrigatório estabelecido pela Agência Nacional da Saúde Suplementar (ANS) em 2009, que estandardiza e faz a troca das informações dos beneficiários dos planos privados.

Através do lançamento de novas versões, ele vai otimizando os processos de compatibilidade dos variados sistemas tecnológicos de saúde utilizados pelas Operadoras, melhorando a obtenção dos dados dos pacientes entre os Agentes da Saúde Suplementar e, consequentemente, colaborando ao compor o RES (Registro Eletrônico de Saúde).

Por meio da implementação do Padrão Tiss, é possível perceber a melhora na compatibilidade das informações e a diminuição nos erros e na divergência de dados dos beneficiários dos planos de saúde. Dessa maneira, a exatidão do padrão acaba colaborando não só com a precisão dos dados, mas também com a redução de possíveis golpes que afetariam tanto os beneficiários quanto os prestadores de serviços.

Além de padronizar e agilizar a troca de informações, o padrão Tiss ajuda a melhorar a administração do hospital e ainda contribui com a redução do uso de papéis, que sempre foi muito utilizada na área da saúde, evitando possíveis perdas de documentos em gigantescos arquivos de papel e claro, ajudar o meio ambiente. É a tecnologia da informação sempre colaborando com o setor da saúde, descomplicando os procedimentos e trazendo resultados mais corretos e claros.

Embora seja usado para trocar informações referentes à saúde de pacientes, o padrão Tiss também pode corrigir erros administrativos e financeiros, incluindo processos de cobrança, os quais visam acabar com os atrasos nos pagamentos, reduzindo glosas.

Quer ainda mais vantagens? Conheça o XTISS, desenvolvido pela CloudMed Tecnologia!
É a plataforma perfeita para analisar, criticar e validar os arquivos XML seguindo todas as normas impostas pela ANS, tornando todo o procedimento ainda mais fácil e seguro.

Assim, mediante ao supervisionamento confiável dessas informações, as Operadoras de Saúde e os Prestadores terão mais comunicação, dados mais exatos e em consequência disso, até as fraudes vão diminuir.