Influenza A (H1N1)

Sempre vimos em filmes de ficção científica, a contaminação de alguma doença em grande parte da população mundial causando caos e morte por onde se espalha. Hoje, apesar de não ser tão caótico quanto relatado em filmes, passamos por uma pandemia da gripe A/H1N1 e precisamos tomar cuidados para que esse vírus não seja tão destrutivo quanto imaginamos em filmes.

Apesar de grande parte da população ignorar a rápida evolução de casos de contaminação acreditando ser apenas mais uma gripe ou resfriado, o Ministério da Saúde, a Sociedade Brasileira de Infectologia e demais entidades da saúde mundial, estão lançando campanhas de combate e prevenção.

Os casos de contaminação estão aumentando significativamente e o Estado de São Paulo está liberando mais vacinas devido ao surto na região. Somente na cidade de São José do Rio Preto no interior do estado de São Paulo,  foram identificados ao menos 82 casos de contaminação da gripe A/H1N1.

Alguns planos de saúde e empresas especializadas em atendimento domiciliar, estão disponibilizando aos seus beneficiários a aplicação da vacina. Equipes especializadas em vacinação estão visitando as casas dos beneficiários e fornecendo a aplicação da vacina contra a gripe.

Apesar dos esforços do Ministério da Saúde, no Brasil foram registrados 153 mortes, sendo metade dessas no estado de São Paulo, e também, mais de 1012 casos confirmados de contaminação do vírus. Diante desses alarmantes dados, é preciso tomar cuidado, estar atento aos sintomas e respeitar as indicações de prevenção e combate da A/H1N1.

Segue abaixo 5 dicas para se prevenir contra o vírus:

1 – Não deixe de se vacinar contra o vírus A/H1N1. A vacina será disponibilizada pelo SUS em abril para os grupos com risco de maior complicação como o dos idosos, crianças de seis meses a 5 anos, gestantes, puérperas (que acabaram de dar à luz), portadores de doenças crônicas, funcionários do sistema prisional e da área da saúde. Para quem não está nos grupos de risco, é possível tomar a vacina na rede particular;

2 – Evite o contato com as pessoas com a gripe H1N1, como abraço, beijo e aperto de mão. Em ambientes fechados, procure deixar as janelas abertas para que haja circulação do ar;

3 – Lave muito bem as mãos com água e sabão (inclusive entre os dedos, nos pulsos e por dentro das unhas) e utilize álcool gel para uma higienização completa. Se não for possível, faça pelo menos um dos dois procedimentos;

4 – Se segurar em lugares públicos como maçanetas, corrimãos, apoios do metrô e dos ônibus, evite levar as mãos até os olhos, nariz e boca enquanto não puder fazer nova higienização;

5 – Evite estresse, ansiedade, má alimentação, dormir pouco, beber e usar drogas. Isso enfraquece o sistema imunológico e deixa o organismo ainda mais exposto ao vírus.

 

Assim que perceber algum sintoma, procure atendimento médico com urgência pois o vírus é transmitido facilmente em contato com outras pessoas e também afeta rapidamente o seu corpo.

Mais informações acesse:  Portal da Saúde

Até a próxima pessoal!

Investimentos na área da saúde

O futuro de qualquer área provavelmente será o mesmo, a tecnologia. Tudo o que existe pode ser facilmente melhorado e automatizado graças a portabilidade de dados que temos hoje, através da tela de um Smartphone ou de um tablet podemos ter todas as informações que necessitamos. A área da saúde está evoluindo juntamente com as inovações que surgem, hoje em dia podemos ter um relatório completo da nossa saúde, padrões de sono, rotina de exercícios, etc. diretamente no nosso Smartphone.

Então por que não expandir as inovações para a área médica, facilitando assim o atendimento médico, o acesso á informações dos pacientes e a comunicação entre ambos. Com isso em mente grandes empresas estão investindo para que isso se torne realidade.

A Microsoft conta com aplicações para melhorar a mobilidade clinica, trazendo acesso á dados clínicos sem sacrificar a segurança, tudo direto na tela do Smartphone, tanto para os profissionais de saúde quanto para os pacientes, promovendo melhorias na relação médico-paciente.

Como os dados ficam salvos em nuvem os usuários, pacientes ou profissionais, podem ter acesso aos seus dados a qualquer momento com segurança e praticidade. O profissional pode acessar os dados do paciente direto da casa do mesmo, e o paciente pode monitorar as informações que desejar em qualquer lugar e em qualquer momento.

Nós da CloudMed queremos contribuir para essa evolução, esperamos que outras empresas também invistam na área da saúde para assim podermos tirar o máximo proveito de tudo que a tecnologia tem a nos oferecer.