Programação x DNA – Encontrando “bugs” genéticos!

Os estudos da codificação do DNA estão trazendo inúmeras possibilidades aos pesquisadores e cientistas no mundo todo. Avanços nas pesquisas, estão gerando novas formas de buscarmos soluções para problemas e doenças no mundo todo, gerando qualidade de vida e esperança para nós.

Com descobertas e novas tecnologias, pesquisadores estão tratando o DNA como se fosse um código de Computador que possui “bugs”. Com a finalidade de encontrar as causas e possíveis métodos de cura para diversas doenças, a ideia vem sendo adotada por equipes de pesquisadores ao redor do mundo.

Nosso código genético, que é escrito no DNA, é feito de sequências repetidas de 4 blocos químicos caracterizados pelas letras A, C, T e G. Com a substituição de apenas 1 letra, o organismo pode desenvolver doenças devastadoras. É neste cenário que empresas e pesquisadores vem buscando soluções para corrigir algum “bug” genético encontrado em indivíduos.

Uma dessas empresas é a Foundation Medicine, empresa criada por pesquisadores das universidades do MIT e Harvard, que começou a tratar o código presente no DNA como um código de computador com “bugs”, procurando mutações e intervenções genéticas que poderiam ser a causa de câncer em alguns pacientes.

A ideia é aprimorar a detecção de mutações em células que possam ser cancerígenas, como também desenvolver métodos e remédios que possam combater diretamente a doença, com o máximo de eficiência e o mínimo de efeito colateral. “O câncer é uma doença do código de programação humana. Se você for capaz de ler o código-fonte de uma pessoa (sua sequência genética), você pode, potencialmente, descobrir bugs e corrigir essas falhas”, explica Alexis Borisy, um dos líderes do estudo.

Desta forma é possível detectar em indivíduos específicos o melhor tratamento e remédio que combata com eficiência a doença e até mesmo corrigir falhas no DNA para evitar que essa doenças possam evoluir.

Gladstone Institutes na California nos EUA, liderados pelo cientista e pesquisador Dr Bruce Conklin, estão desenvolvendo métodos de detecção destas mutações (são raras, afetando menos de 1% das células do corpo) para que sejam comparados blocos de DNA com mutações em relação a blocos normais, conseguindo identificar então células mutantes e suas falhas.

Com a evolução de tais pesquisas e métodos, os pesquisadores acreditam que será possível editar a codificação do DNA para corrigir os “bugs” encontrados no indivíduo.”Algumas das mais devastadoras doenças que enfrentamos são causadas por minusculas mudanças genéticas. Mas estamos esperançosos que nosso método de tratar o genoma humano como linhas de código de computador, algum dia poderemos utilizar para reparar essas mutações perigosas e, essencialmente, corrigir o código danificado.” relata Dr. Bruce Conklin.

Via Olhar DigitalBusiness Insider e Herald Scotland

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s