Campanha para doação de leite materno

    O Ministério da Saúde, em parceria com a Rede Global de Bancos de Leite Humano e o Programa Iberoamericano de Bancos de Leite Humano, lançou nesta sexta-feira (18), em São Paulo, a campanha nacional: Doe Leite Materno, Ajude quem Espera por Você.

Veja o vídeo da campanha:

Conheça também o passo a passo para a doação de leite materno:

 

    Benefícios para o bebê: O leite materno protege contra diarreias, infecções respiratórias e alergias. Diminui o risco de hipertensão, colesterol alto e diabetes, além de reduzir a chance de desenvolver obesidade. Crianças amamentadas no peito são mais inteligentes, há evidências de que o aleitamento materno contribui para o desenvolvimento cognitivo.

    Benefícios para a mãe: Reduz o peso mais rapidamente após o parto. Ajuda o útero a recuperar seu tamanho normal, diminuindo o risco de hemorragia e de anemia após o parto. Reduz o risco de diabetes. Reduz o risco de desenvolvimento de câncer de mama e de ovário. Pode ser um método natural para evitar uma nova gravidez nos primeiros 6 meses desde que a mãe esteja amamentando exclusivamente (a criança não recebe nenhum outro alimento) e em livre demanda (dia e noite, sempre que o bebê quiser) e ainda não tenha menstruado.

Obrigado, até uma próxima.

Febre Amarela

Risco de registros urbanos de febre amarela é pequeno, mas é bom ficar atento.

Febre amarela é uma doença viral aguda causada pelo vírus da febre amarela. Na maior parte dos casos, os sintomas incluem febre, calafrios, perda de apetite, náuseas, dores de cabeça e dores musculares, principalmente nas costas.

download.jpg

Os sintomas geralmente melhoram ao fim de cinco dias. Em algumas pessoas, no prazo de um dia após os sintomas melhorarem, a febre regressa, aparecem dores abdominais e as lesões no fígado causam icterícia. Quando isto ocorre, aumenta o risco de insuficiência renal.

Diagnóstico

O diagnóstico é feito através de reação em cadeia da polimerase (PCR), inoculação de soro sanguíneo em culturas celulares; ou pela sorologia. Os sintomas iniciais da febre amarela, dengue, malária e leptospirose são os mesmos. Portanto, é necessário a realização de exames laboratoriais para a diferenciação. A confirmação do diagnóstico de febre amarela não exclui a possibilidade de malária. Da mesma forma que a febre amarela, a dengue e a malária também podem se tornar graves quando o indivíduo aparenta melhora.

Prevenção

A prevenção da febre amarela se dá através do combate aos mosquitos e de vacinação. Nas áreas de risco, a vacinação deve ser feita a partir dos seis meses de vida, enquanto nas outras áreas pode ser a partir dos nove meses. Viajantes que forem para Amazônia ou Pantanal devem tomar um reforço dez dias antes.

Combate ao mosquito
Algumas medidas de combate ao mosquito são:

  • Utilizar água tratada com cloro (40 gotas de água sanitária a 2,5% para cada litro) para regar plantas.
  • Desobstruir as calhas do telhado, para não haver acúmulo de água.
  • Não deixar pneus ou recipientes que possam acumular água expostos à chuva.
  • Manter sempre tapadas as caixas de água, cisternas, barris e filtros.
  • Colocar os resíduos domiciliares em sacos plásticos fechados ou latões com tampa.
  • Não deixar o bico das garrafas para cima.

Vacinação

Pessoas que residem ou viajam para zonas endêmicas de febre amarela devem ser vacinadas. A vacina, com quase 100% de eficácia, tem validade por 10 (dez) anos e uma vacina de reforço é recomendada pelo Ministério da Saúde do Brasil após esse período. A OMS, entretanto, considera uma vacina como suficiente para gerar imunidade por toda a vida. Em 5 de abril de 2017, o Ministério da Saúde mudou a recomendação nacional para o número de doses de vacina contra a febre amarela, passando a recomendar dose única conforme OMS.

Segundo recomendação do Ministério da Saúde do Brasil, mulheres que estão a amamentar devem adiar a vacinação contra a febre amarela até a criança completar seis meses. No Brasil, a vacina contra a febre amarela faz parte do esquema básico da infância nos Estados onde a doença é endêmica. A vacina é composta de vírus atenuado e só faz efeito dez dias após sua aplicação.

Novembro Azul

O movimento surgiu na Austrália, em 2003, chamado Movember, aproveitando as comemorações do Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata, realizado a 17 de novembro. No Brasil, o Novembro Azul foi criado pelo Instituto Lado a Lado pela Vida, com o objetivo de quebrar o preconceito masculino de ir ao médico e, quando necessário, fazer o exame de toque, e obteve ampla divulgação.

Em vários países, o Movember é mais do que uma simples campanha de conscientização. Há reuniões entre os homens com o cultivo de bigodes (ao estilo Mario Bros), símbolo da campanha, onde são debatidos, além do câncer de próstata, outras doenças como o câncer nos bagos, depressão masculina, cultivo da saúde do homem, entre outros.

Veja algumas formas de prevenção ao câncer de próstata.

     Não evite o médico
Seu médico pode ser o seu melhor aliado para prevenir problemas de saúde. Não espere para visitar o médico quando algo ruim acontecer e siga as recomendações de tratamento se tiver problemas de saúde, como: colesterol alto, pressão alta ou diabetes. Além disso, pergunte ao seu médico sobre quando você deve fazer exames de câncer, imunizações e outras avaliações de saúde.

     Dieta saudável
Hábitos de alimentação saudáveis para manter o peso adequado ajudam na prevenção do câncer de próstata, assim como de várias outras doenças. Fique de olho, a obesidade acompanhada de uma alimentação pouco saudável e com muita ingestão de gordura, é um fato de risco para o possível desenvolvimento do câncer de próstata.

     Não ao cigarro
O tabagismo é outro agravante para o câncer de próstata, se você fumar, pergunte ao seu médico como ele pode ajudá-lo a parar. Evite a exposição ao fumo passivo, poluição do ar e produtos químicos.

     Exercícios físicos regulares
Toda atividade física beneficia a saúde. O exercício pode ajudá-lo a controlar seu peso, a reduzir o risco de doença cardíaca e acidente vascular cerebral e, possivelmente, reduzir o risco de certos tipos de câncer. Escolha atividades que você gosta, como futebol, natação ou caminhadas rápidas.

 

Novo tratamento contra hepatite C pode ser oferecido pelo Ministério da Saúde

    Nesta quinta-feira (27) o Ministério da Saúde anunciou o novo tratamento para pessoas com diagnostico de hepatite C. Independentemente do estágio de comprometimento, pacientes terão acesso gradativo a medicamentos que apresentam 90% de cura da doença.
Segundo o ministro da Saúde, Ricardo Barros, a medida prevê o tratamento dos casos em estágio inicial da doença para que não haja a propagação do vírus, “É uma política nova, de erradicação da hepatite C no país”, disse.
A hepatite C é subdivida entre os níveis que vai de F0 a F4. Após essas etapas, a doença pode evoluir para cirrose, câncer de fígado e levar à necessidade de transplante. Para que evitar a evolução,  a pasta estima aplicar 12 milhões de testes em todo país.
A meta do ministério é zerar a fila de pacientes graves que aguardam o tratamento para a hepatite C. Atualmente, 2.800 pessoas esperam para ser tratadas. Até o momento, são medicados os pacientes em grau avançado da doença (F3 e F4).
Atualmente, o país tem 135 mil pessoas diagnosticadas com a doença e o ministro ressalta, “Queremos alcançar as 135 mil pessoas que estão contaminadas em qualquer nível de hepatite. Nesse ano, após os 12 milhões de testes de hepatite C, vamos procurar identificar mais pessoas que precisam do tratamento. Há muitas pessoas com hepatite que não sabem. A testagem é fundamental”.

Até o próximo! 🙂

Conheça o SmartReab – A tecnologia móvel que já monitoriza doentes respiratórios crônicos em Portugal

              O novo sistema desenvolvido pela Fundação Vodafone Portugal tem importante papel na melhoria da qualidade de vida de milhares de doentes crônicos portugueses.

      O Sistema de Telemonitorização SmartReab implementado no Serviço de Pneumologia do Centro Hospitalar Lisboa Norte, irá permitir prolongar a monitorização da atividade física para lá do ambiente hospitalar, acompanhando e incentivando com segurança o doente a manter-se ativo no seu ambiente domiciliário e na comunidade em que se insere.

              Nos doentes respiratórios mais graves, o Sistema SmartReab permitirá também ajustar a adequação dos níveis de oxigênio necessários para aqueles que cumprem esta terapêutica diariamente.

         Fátima Rodrigues, Coordenadora da Unidade de Reabilitação Respiratória do Hospital Pulido Valente (HPV), local onde se tem desenvolvido a implementação do sistema SmartReab, enaltece a importância para a equipa clínica da disponibilização de informação constante e do incremento à atividade física  -“Proporciona dados em tempo real, de forma contínua, nos quais o doente está em ambiente domiciliário e em comunidade. Para além de sinalizar ocorrências anômalas, permite também incentivar, com segurança, o aumento da atividade física e acompanhar o benefício obtido pelos Programas de Reabilitação Respiratória, na adoção de hábitos de vida saudável.”

        Através do aumento da atividade física, estima-se que o Sistema SmartReab contribuirá, a médio e a longo prazo para:

  • Promover um estilo de vida saudável nos doentes respiratórios crônicos;
  • Reduzir o número de episódios de urgência face a um melhor controlo clínico, minimizando as agudizações da doença respiratória;
  • Reduzir o número de episódios de internamento como consequência da redução dos episódios de urgência.

Veja o vídeo:

Analista de Sistemas cria robô para diminuir mortes por ‘falência múltipla de órgãos’

           O robô ‘Laura’ foi desenvolvido após nove meses de trabalho voluntário de Jackson Fressato no hospital em que sua filha faleceu com ‘septicemia’ ou ‘falência múltipla de órgãos’, ele iniciou esse trabalho enquanto procurava um culpado por sua morte.

       Assim, o analista criou um sistema capaz de diagnosticar a sepse por meio de tecnologia cognitiva, ou seja, “o software tem a capacidade de aprender analisando, entendendo e até conversando com áreas operacionais de todos os hospitais”. Ao receber os dados de pacientes antigos e com o protocolo de diagnóstico da síndrome, o robô é capaz de alertar a equipe médica que, logo, começa o tratamento antes que a doença se agrave.

         Segundo o Instituto Latino Americano de Sepse (ILAS), a sepse é o responsável por 25% da ocupação de leitos em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) no Brasil. A doença atinge hoje 2,5 milhões de brasileiros por ano, e destes 250 mil acabaram morrendo. Para Jackson, o sonho de Laura é que em 2020 a mortalidade para a doença no Brasil seja de 5% e, para isso, a ideia é que o robô Laura seja disponibilizado a todos os hospitais filantrópicos e privados do país.

         Neste mês de fevereiro Jackson vai a Cuiabá para fazer uma palestra gratuita sobre o tema para profissionais da área da saúde, hospitais filantrópicos e particulares, mostrando que é possível combater as mortes por sepse. Nós da CloudMed parabenizamos Jackson Fressato que transformou a dor de sua perda em algo que pode ajudar milhões de pessoas.

                  Apresentação do Robô Laura em Mato Grosso
Quando: dia 07 de fevereiro, às 19:30 horas
Onde: Auditório do Hospital de Câncer de Mato Grosso
Av. Historiador Rubens de Mendonça, 5500 – Morada da Serra, Cuiabá

laura.jpeg

Contratação de planos de saúde por sites e aplicativos é regulado pela ANS

     Foi publicado  hoje (14) no Diário Oficial da União (DOU)  pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) as primeiras regras para operadoras, administradoras de benefícios e corretoras de saúde que decidirem disponibilizar a adesão de seus planos por meio de plataformas digitais, como portais na internet ou aplicativos disponíveis em smartphones. No intuito de dar mais segurança ao consumidor, as empresas devem seguir o mesmo padrão tanto na divulgação de informações sobre os produtos e planos disponíveis quanto dos documentos necessários para a transação.bigstock-First-Aid-Smartphone-42751702.jpg

As principais definições são:

Art. 2º – É facultativo o oferecimento de contratação eletrônica de planos privados de assistência à saúde.

Art. 5º – § 2° – A operadora deverá, no prazo máximo de 25 (vinte e cinco) dias corridos, concluir o processo de contratação eletrônica e disponibilizar as opções de pagamento.

Art. 5º –  § 3° – O prazo estabelecido no § 2º deste artigo se dará a partir da data do início da contratação eletrônica que corresponde ao primeiro dia de envio das informações necessárias.

Art. 8º – O contratante poderá exercer seu direito de arrependimento e rescindir o contrato unilateralmente no prazo de 7 (sete) dias de duração a partir da data de vigência do contrato.

Art. 9º – Os planos da operadora ofertados para contratação eletrônica deverão ser ofertados também presencialmente por pelo menos 12 (doze) meses, a partir da vigência desta Resolução.

Art. 13 – A operadora deverá disponibilizar, durante a contratação eletrônica, serviço adequado e eficaz de atendimento em meio eletrônico, que possibilite ao interessado a resolução de demandas referentes a informação, dúvida, reclamação, suspensão ou cancelamento do contrato.

     Nós da CloudMed acreditamos que esse é o caminho certo e que todos saem ganhando, os consumidores com mais comodidade e segurança ao contratar um serviço de saúde sem sair de casa e as empresas de saúde com um novo canal para divulgação e venda de seus produtos e serviços.

Obrigado e até a próxima.