Ministério da Saúde atualiza casos de Sarampo no país

O Ministério da Saúde, atualizou nesta quarta-feira, dia 18 de julho, informações das secretarias estaduais de saúde. O número é assustador: são 660 casos  de sqarampo confirmados, com dois surtos concentrados nos estados do Amazonas e Roraima.

Ficou comprovado que ambos os casos estão relacionados à importação, pois o genótipo do vírus é o mesmo presente na Venezuela. Ainda, 2.529 casos estão em processo de investigação e 147 casos foram descartados.

Há também casos notificados em alguns estados, como: Rio de Janeiro (40), Rio Grande do Sul (10), Rondônia (1) e São Paulo (1).

Em 2016 o Brasil recebeu da organização Pan-Americana de Saúde o certificado de eliminação do sarampo. Atualmente são empregados esforços no sentido de interromper a transmissão.

O Ministério da Saúde oferece gratuitamente a vacina tríplice viral (que combate sarampo, rubéola e caxumba), além da tetra viral (sarampo, caxumba, rubéola e varicela).

Em crianças de 12 meses a 5 anos é recomendado uma dose da tríplice viral aos 12 meses e uma da tetra viral aos 15 meses. Para crianças de 5 a 9 anos, que não se vacinaram, recomenda-se duas doses da tríplice com intervalo de 30 dias entre as doses.

Entre os dias 6 e 31 de agosto será realizada uma campanha nacional de vacinação, sendo o dia D o sábado, 18 de agosto. O público alvo desta campanha serão as crianças de 1 a 5 anos. Os detalhes serão divulgados mais próximo a data.

Abaixo, segue algumas dicas para prevenção da doença:

sarampo

Fique atento às novidades e não deixe de vacinar!

Campanha de vacinação contra gripe

Nesta época do ano, com a mudança climática, muitas pessoas enfrentam problemas com gripes e resfriados.

Por este motivo o Ministério da Saúde realiza a Campanha Nacional de Vacinação Contra a Gripe, que neste ano ocorre entre os dias 23 de abril e 1.º de junho. A entidade atesta que a vacina é segura e salva vidas, reduzindo o risco de internações por pneumonias entre 32% e 45%.

Calcula-se que mais de 54,4 milhões de pessoas devem ser vacinadas nesse período em todo o país. A vacina protege o paciente contra o vírus influenza nos tipos A, B e C.

Devem ser vacinadas pessoas a partir de 60 anos, crianças de 6 meses a 5 anos, trabalhadores da área de saúde, professores de rede pública e privada, povos indígenas, gestantes e puérperas (mulheres até 45 dias de pós parto), detentos, funcionários do sistema prisional  e portadores de doenças crônicas não transmissíveis. Para este último grupo é necessário apresentar prescrição médica ao se vacinar.

É importante ressaltar que os resfriados são causados por outros vírus, apesar de terem sintomas parecidos com os da gripe. Os sintomas mais característicos da gripe são: a febre alta, associada a dor muscular, de garganta, coriza e tosse seca. A transmissão ocorre por contato com as secreções das vias respiratórias, acontecendo quando o enfermo tosse ou espirra. Nos resfriados, os sintomas são mais leves e duram entre 2 a 4 dias. Não é comum ter febre durante um resfriado.

Se você faz parte do grupo de risco citado, procure o posto de saúde mais próximo e não deixe de se proteger!

FONTES: Ministério da Saúde e Anvisa

A Regulamentação do “Uber dos Médicos”

Nesta semana o Conselho Federal de Medicina publicará a Resolução n.º 2.178, onde julga como ético o uso do “Uber da medicina”, no qual  seja possível pacientes entrarem em contato com médicos através de aplicativos. O atendimento deve ser domiciliar.

tecnologia_saude

Uma das exigências do órgão é que todos os profissionais cadastrados possuam Registro de Qualificação de Especialidade (RQE) na área em que fará o atendimento. Os profissionais também devem registrar os prontuários (seja por meio físico ou digital), a fim de disponibilizar as informações para outros médicos e/ou para o paciente, possibilitando o acompanhamento e tratamento.

Se torna necessária a figura de um diretor-médico, que responderá em última instância pela qualidade do atendimento e verificará se o médico recebeu os honorários combinados para o atendimento.

Os aplicativos devem ainda se adequar às regras da publicidade médica. É proibida a divulgação de valores de consultas ou procedimentos em anúncios promocionais, pois, para o CFM esse fato gera concorrência desleal.

Segundo Emmanuel Fortes, a relação das tradicionais visitas domiciliares se altera com essa nova forma de atendimento, e pondera:

“Essa nova modalidade traz grandes desafios, pois há diversas variáveis que fazem com que seja muito tênue a linha divisória entre o que é ético e o que não é ético no exercício profissional. Por isso, é essencial que o CFM regulamente o que deve ser obedecido pelos aplicativos e pelos médicos.”

Apesar de já existirem serviços desse tipo no Brasil, não havia regulamentação específica.

FONTE: Conselho Federal de Medicina

Febre Amarela

Risco de registros urbanos de febre amarela é pequeno, mas é bom ficar atento.

Febre amarela é uma doença viral aguda causada pelo vírus da febre amarela. Na maior parte dos casos, os sintomas incluem febre, calafrios, perda de apetite, náuseas, dores de cabeça e dores musculares, principalmente nas costas.

download.jpg

Os sintomas geralmente melhoram ao fim de cinco dias. Em algumas pessoas, no prazo de um dia após os sintomas melhorarem, a febre regressa, aparecem dores abdominais e as lesões no fígado causam icterícia. Quando isto ocorre, aumenta o risco de insuficiência renal.

Diagnóstico

O diagnóstico é feito através de reação em cadeia da polimerase (PCR), inoculação de soro sanguíneo em culturas celulares; ou pela sorologia. Os sintomas iniciais da febre amarela, dengue, malária e leptospirose são os mesmos. Portanto, é necessário a realização de exames laboratoriais para a diferenciação. A confirmação do diagnóstico de febre amarela não exclui a possibilidade de malária. Da mesma forma que a febre amarela, a dengue e a malária também podem se tornar graves quando o indivíduo aparenta melhora.

Prevenção

A prevenção da febre amarela se dá através do combate aos mosquitos e de vacinação. Nas áreas de risco, a vacinação deve ser feita a partir dos seis meses de vida, enquanto nas outras áreas pode ser a partir dos nove meses. Viajantes que forem para Amazônia ou Pantanal devem tomar um reforço dez dias antes.

Combate ao mosquito
Algumas medidas de combate ao mosquito são:

  • Utilizar água tratada com cloro (40 gotas de água sanitária a 2,5% para cada litro) para regar plantas.
  • Desobstruir as calhas do telhado, para não haver acúmulo de água.
  • Não deixar pneus ou recipientes que possam acumular água expostos à chuva.
  • Manter sempre tapadas as caixas de água, cisternas, barris e filtros.
  • Colocar os resíduos domiciliares em sacos plásticos fechados ou latões com tampa.
  • Não deixar o bico das garrafas para cima.

Vacinação

Pessoas que residem ou viajam para zonas endêmicas de febre amarela devem ser vacinadas. A vacina, com quase 100% de eficácia, tem validade por 10 (dez) anos e uma vacina de reforço é recomendada pelo Ministério da Saúde do Brasil após esse período. A OMS, entretanto, considera uma vacina como suficiente para gerar imunidade por toda a vida. Em 5 de abril de 2017, o Ministério da Saúde mudou a recomendação nacional para o número de doses de vacina contra a febre amarela, passando a recomendar dose única conforme OMS.

Segundo recomendação do Ministério da Saúde do Brasil, mulheres que estão a amamentar devem adiar a vacinação contra a febre amarela até a criança completar seis meses. No Brasil, a vacina contra a febre amarela faz parte do esquema básico da infância nos Estados onde a doença é endêmica. A vacina é composta de vírus atenuado e só faz efeito dez dias após sua aplicação.

Novo Rol de Cobertura dos Planos de Saúde

A partir de 02/01/2018 os planos de saúde devem cobrir 18 novos procedimentos, conforme Resolução Normativa da ANS aprovada em novembro de 2017. A nova cobertura mínima abrange desde exames, terapias, e até mesmo cirurgias em diversas especialidades.

Foi também ampliada a cobertura de mais 7 procedimentos, que incluem medicamentos no tratamento de câncer e esclerose múltipla.

A cobertura faz parte do Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde, sendo obrigatório para todos os planos de saúde novos (contratados a partir de janeiro de 1999) ou adaptados à Lei 9.656/98.

Abaixo você pode conferir, resumidamente, os principais itens incorporados à lista:

Infográfico_principais_inclusões

FONTE: ANS

Caso a operadora não esteja cumprindo a normativa, o consumidor deve procurar a ANS:

Até o próximo post!

Outubro Rosa

outubrorosa2

O movimento conhecido no Brasil como Outubro Rosa é realizado pelo Ministério da Saúde desde 2010, embora tenha sua origem internacional nos anos 90. Seu intuito é estimular a prevenção do câncer de mama, o segundo mais incidente na população feminina, ficando atrás somente do câncer de pele. Segundo dados do Ministério da Saúde, o câncer de mama corresponde a 25% dos novos casos em mulheres a cada ano. Se tratado precocemente, as chances de sucesso no tratamento são muito grandes, evitando terapias muito invasivas e até a morte.

Na saúde suplementar há diversos procedimentos de prevenção com cobertura garantida, desde consultas e exames (por exemplo, o exame genético BRCA1/BRCA2, que detecta o câncer de mama e ovário hereditários), até as cirurgias de retirada e reparação. O rol de procedimentos também prevê cirurgia de reconstrução mamária. Caso a paciente tenha a mama retirada devido ao tumor ou trauma terá direito até à mastoplastia da outra mama, para correções estéticas. Só em 2015, os planos de saúde realizaram cerca de 5 milhões de mamografias.

É importante que as mulheres estejam sempre atentas aos sintomas e fatores de risco, além de fazerem o autoexame regularmente. Em caso de sintomas, não se esqueça de procurar um médico!

ANS publica cobertura obrigatória para exames de detecção do Zika Vírus

zikacolorido

Conforme publicado recentemente pela ANS, a partir de 06/07/16 os planos de saúde terão obrigatoriedade no fornecimento de exames de detecção do Zika Vírus.

Os exames obrigatórios passam a ser: PCR (polymerase chain reaction), que identifica a doença em seus primeiros dias; o IgM (teste sorológico que identifica anticorpos na corrente sanguínea) e o IgG (que identifica se o paciente já teve contato com o vírus em algum momento de sua da).

Tem o direito assegurado os grupos considerados prioritários: gestantes, bebês filhos de mãe com diagnóstigo de Zika e recém nascidos portadores de malformação congênita sugestivas de contato com o vírus.

A determinação ocorreu de forma extraordinária, estabelecida pela Resolução Normativa 407, publicada em 06/06/16.

Exames aprovados e recomendações:

  • PCR: recomendado para gestantes sintomáticas (somente até cinco dias após o surgimento dos primeiros sinais da doença).
  • IgM: recomendado para gestantes com ou sem sintomas da doença nas primeiras semanas de gestação (pré-natal) com repetição desse procedimento ao final do 2º trimestre da gravidez; e para bebês filhos de mães com diagnóstico de infecção pelo vírus Zika, bem como aos recém-nascidos com malformação congênita sugestivas de infecção pelo vírus.
  • IgG: recomendado somente para infeção pelo vírus Zika para gestantes ou recém-nascidos que realizaram pesquisa de anticorpos IgM cujo resultado foi positivo.

FONTE: http://www.ans.gov.br/aans/noticias-ans/consumidor/3390-cobertura-obrigatoria-para-exames-de-deteccao-do-virus-zika