Saúde na nuvem

Devido as suas várias vantagens, a utilização de sistemas em nuvem estão se tornando mais comuns dia após dia. A praticidade em armazenar informações online evitando a instalação de softwares lentos e, consequentemente, o peso no hardware subiu no conceito dos profissionais de todas as áreas, inclusive na área da saúde.

A cloud computing (ou computação em nuvem), chegou de forma inovadora no âmbito hospitalar, facilitando o armazenamento de dados e simplificando a troca de informações não só entre médicos e pacientes, mas também entre prestadores, operadoras de saúde e etc.

Todos os dados arquivados na nuvem ficam disponíveis em qualquer lugar do mundo e a qualquer hora do dia ou da noite, desde que se tenha acesso a internet. Embora não pareça, o armazenamento em nuvem é extremamente seguro, pois só o responsável pela conta pode abrir e compartilhar os dados contidos nela, que estão protegidos por senha.

Na medicina, através da computação em nuvem, dados importantes como históricos e documentos ficam seguros, evitando a perda ou o extravio dos mesmos e, portanto, prevenindo transtornos que poderiam desencadear problemas mais sérios futuramente. Além disso, é possível analisar a quantidade de consultas, internações, exames e etc, tornando os atendimentos mais rápidos e completos.

A aquisição de OPMEs e MAT MED também progrediu por meio da cloud computing, onde o gerenciamento e a cotação dos produtos pode ser analisada profundamente, facilitando as compras e evitando vendas fraudulentas, proporcionando total transparência do início ao fim das cotações.

Diante disso, a CloudMed Tecnologia desenvolveu ferramentas e plataformas que operam sobre estruturas em nuvem, dispondo dos melhores recursos, sempre focando na inovação e no benefício dos clientes. Nosso time de criação e desenvolvimento usa as mais modernas ferramentas e metodologias de desenvolvimento existentes, ademais, estamos sempre antenados sobre as novidades que surgem na área da tecnologia! Aqui nos preocupamos com a simplicidade da usabilidade sem perder a essência da qualidade do resultado. A experiência que acumulamos ao longo dos anos nos permite assumir o compromisso de criar ou recriar soluções sob medida para atender o setor de saúde no Brasil e no mundo.

Enfim, é evidente que a cloud computing trás inúmeros benefícios à área da saúde, mas sua aquiescência depende somente dos profissionais responsáveis. Cabe a eles averiguar os prós e os contras, e então aderir ou não à computação em nuvem.

Economia e Tecnologia

Não é difícil perceber quão importante é a Gestão de OPME (órteses, próteses e materiais especiais) para a área da saúde, dado que as despesas com as aquisições de OPMEs são de aproximadamente 80% do que se paga nas contas hospitalares, ou seja, contas que as Operadoras de Saúde pagam, e consequentemente, os Beneficiários também.

Saber administrar corretamente as OPMEs tem se tornado mais fácil com o passar do tempo graças à tecnologia, aos sistemas de software e à qualificação do pessoal encarregado.

Como já dito no meu post anterior, a tecnologia às vezes pode ser mal interpretada, ou até pouco notada agora que tudo parece ser mais moderno e prático. Porém, a tecnologia têm sido muito eficaz para a medicina, praticamente se tornando item obrigatório em quase todos os setores da saúde.

Atualmente, a tecnologia é um recurso indispensável quando o assunto é Gestão de OPME, uma vez que, através de plataformas inteligentes, é possível visualizar várias possibilidades, fornecedores, preços, qualidade dos materiais e etc, mantendo o comércio em harmonia. Hoje sabe-se que o emprego de ferramentas tecnológicas não significa pagar mais, muito menos substituir alguém a favor dela. Ao invés disso, criou-se uma infinidade de cargos relacionados à tecnologia, que conseguiram tornar certas aquisições mais baratas, inclusive na área de OPME. Tudo depende, claro, da sensatez dos responsáveis pela administração e compra de OPMEs.

O gerenciamento das OPMEs não depende apenas do profissional responsável, pois existem legislações estabelecidas pela ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) e pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) que devem ser cumpridas por eles e pelos distribuidores. Além disso, os gestores de OPME são bastante pressionados quanto à qualidade dos produtos, prazos de entrega e, sem dúvida, aos valores a serem pagos.

Trabalhar com materiais de alto custo é um desafio constante no mundo da medicina, onde os gestores trabalham sob grande pressão e precisam utilizar a tecnologia em seu benefício para amenizar as tensões e reduzir as falhas. Com certeza a melhor forma de gerir as compras e os valores dos materiais especiais seria utilizando uma plataforma tecnológica que cumpra as legislações vigentes e colabore com a economia de gastos.

Gestão & OPME

Para conseguir preservar um bom desempenho das funções, é necessário saber administrar todos os setores de uma empresa, mantendo as tarefas em equilíbrio, assegurando que nada saia errado causando um “efeito dominó”. Na área da saúde isso também acontece, já que uma atividade interfere na outra, fazendo com que o atendimento inicial possa se tornar consequência de um bom ou mau desfecho. A grande diferença é que dentro de uma organização hospitalar, dependendo das circunstâncias, os resultados podem custar uma vida, ou então salvá-la.

Cada etapa tem sua importância. Desde a chegada do paciente ao hospital até a sua liberação, vários profissionais desempenham seus diferentes papéis de forma responsável para que os resultados sejam os melhores possíveis. Na recepção, por exemplo, o ideal é que o atendimento seja o mais claro e breve possível, especificando a urgência ou emergência da situação, e desse modo, facilitando as etapas seguintes.

São muitos os meios que podem otimizar os serviços de saúde, mas nenhum é tão eficiente quanto a tecnologia, que pode ser aplicada em praticamente todos os estágios.

Como já dito em um post anterior, as OPMEs (órteses, próteses e materiais especiais) fazem parte de um círculo misterioso, visto que requerem grande investimento financeiro, mas são indispensáveis embora afetem os lucros das Operadoras de Saúde de forma direta. Cada uma delas possui categorias definidas por suas características, valores, prazos, validade e etc, causando dor de cabeça e um peso significativo no caixa das Operadoras.

O uso de ferramentas de informação, que sejam aptas e coerentes, se tornou algo essencial igualmente na área da saúde. As soluções inovadoras e modernas conseguem fazer com que os atendimentos sejam mais rápidos, os procedimentos médicos mais eficazes e ainda ajudam a monitorar toda e qualquer movimentação de compras dos produtos, a fim de evitar gastos desnecessários.

Atualmente, sabe-se que o gerenciamento de todo o fluxo dos materiais especiais é fundamental, garantindo que o estoque fique sempre em dia, possibilitando uma melhor programação das aquisições, considerando o tempo de entrega e os custos.

Ou seja, através de uma gestão adequada e pessoal capacitado, não tem erro: o atendimento vai agilizar, os gastos vão cair e os serviços vão melhorar incessantemente.

Tecnologia x Medicina

As clínicas e os hospitais carregam grandes responsabilidades que vão além da saúde e do bem estar dos pacientes. Saber administrar corretamente os gastos, por exemplo, é uma das obrigações mais rigorosas, pois os gestores têm de seguir à risca todos os protocolos e regras da organização, a fim de preservar os valores, mas ao mesmo tempo, conservar os atendimentos de forma eficaz e sem quaisquer deslizes.

Para que isso se torne possível, as perspectivas ultrapassadas precisam ser descartadas, abrindo espaço para ideias modernas e que resultem em vantagens significativas para Operadoras de Planos de Saúde, Prestadores e Beneficiários.

À vista disso, ferramentas tecnológicas têm sido desenvolvidas, comprovando cada vez mais sua efetividade e fazendo com que a medicina se assemelhe aos mais variados setores, porque quanto mais moderno, melhor! Novas tecnologias vêm contribuindo não só com a eficácia dos atendimentos clínicos e hospitalares e procedimentos médicos, mas também com a compra de insumos, ajudando a evitar gastos inadequados e o abuso de valores dos fabricantes e fornecedores. A obtenção de OPMEs (Órteses, Próteses e Materiais Especiais), por exemplo, que possuem valores altíssimos,  se tornou ainda mais precisa através dos portais tecnológicos, já que eles possibilitaram uma amplitude maior de preços e fornecedores, permitindo avaliar os melhores produtos e valores.

O conceito de evolução às vezes pode assustar, mas a verdadeira intenção é inovar os métodos já existentes e criar novos recursos eficazes economicamente, rápidos e de fácil acesso, que sejam capazes de melhorar ou até salvar vidas. Num primeiro momento, talvez seja difícil enxergar quão poderosa a tecnologia é para a medicina, a sutileza na qual ela se apresenta já gerou discussões anteriormente, mas quando se olha para trás, percebe-se como estamos avançados hoje em dia, provando que o mundo da medicina anda lado a lado com o mundo tecnológico, onde trabalham juntos para vencer as dificuldades inigualáveis do universo da saúde.

Sabendo disso, a CloudMed desenvolveu três ferramentas incríveis para contribuir e simplificar as atribuições próprias da área da saúde, você pode conhecê-las clicando aqui.

A evolução veio para ficar, e de maneira responsável tem proporcionado soluções tecnológicas que visam a economia de gastos sem perder a qualidade, além de facilitar e agilizar as atividades em todas as áreas, movimentando o mercado e gerando resultados, de fato, satisfatórios, principalmente na área da medicina.

Um portal para OPMEs

O avanço tecnológico na área da medicina tem sido acelerado. Todos os dias se ouve falar sobre novos equipamentos, novas técnicas e soluções para os mais variados procedimentos médicos, que antes sequer passavam por nossas cabeças. As cirurgias ortopédicas, por exemplo, há alguns anos eram sinônimo de angústia e preocupação, mas atualmente confiamos muito mais nos novos procedimentos, graças a evolução e modernidade constante nesse setor.

Porém, com grandes progressos vêm grandes gastos. O desenvolvimento de tecnologias mais atuais custa caro, e como a evolução é incessante, os valores tendem a subir cada vez mais.

Devido a isso, a questão das OPME (Órtese, Prótese e Materiais Especiais) tem se tornado cada vez mais comum hoje em dia, sabendo-se que elas trazem benefícios, mas também muitos receios para os agentes de saúde. A urgência pela aquisição de OPMEs expandiu significativamente o comércio e ampliou a concorrência nessa área, entretanto os valores continuam exorbitantes, e a diferença de custo entre uma distribuidora e outra é espantosa.

Por esse motivo, as operadoras de saúde buscaram assessoria à Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), que elaborou diretrizes para a padronização do consumo de OPMEs, criando Resoluções Normativas que visam evitar fraudes e gastos indevidos. Ainda assim, seria necessário a utilização de novos métodos para a garantia da qualidade e da ética dos encargos, e isso requer recursos confiáveis, com preços acessíveis e pessoal habilitado.

De olho nesse mercado, a CloudMed desenvolveu uma plataforma de negociação de materiais cirúrgicos de alto custo, o Portal de Compras, que é uma excelente ferramenta para gestão e cotação de OPMEs com os fornecedores cadastrados pelo usuário. É uma plataforma totalmente transparente, que facilita a visualização e auditoria de todo o processo de cotação, desde a criação do orçamento, até o recebimento das notas fiscais. Esta aplicação estimula inclusive o fornecedor a praticar os menores preços através de um leilão reverso, ou seja, uma vez que o usuário solicita um orçamento, os fornecedores interessados vão informar seus valores, assim o comprador pode identificar o melhor custo x benefício e o produto de melhor qualidade.

O Portal de Compras possui recursos para emissão de relatórios e informações importantes sobre a cotação, e, por se tratar de ambiente web, pode ser acessado em qualquer lugar do mundo a qualquer hora do dia ou da noite, além de ser efetivamente seguro, já que controla desde o acesso dos usuários, até o fim do orçamento.

Dessa maneira, os beneficiários dos planos de saúde vão poder usufruir dos seus direitos sem desvantagens ou prejuízos, considerando o uso sensato das OPMEs resultando em melhorias nos sistemas de saúde.

por Bruna Montanini

A Regulamentação do “Uber dos Médicos”

Nesta semana o Conselho Federal de Medicina publicará a Resolução n.º 2.178, onde julga como ético o uso do “Uber da medicina”, no qual  seja possível pacientes entrarem em contato com médicos através de aplicativos. O atendimento deve ser domiciliar.

tecnologia_saude

Uma das exigências do órgão é que todos os profissionais cadastrados possuam Registro de Qualificação de Especialidade (RQE) na área em que fará o atendimento. Os profissionais também devem registrar os prontuários (seja por meio físico ou digital), a fim de disponibilizar as informações para outros médicos e/ou para o paciente, possibilitando o acompanhamento e tratamento.

Se torna necessária a figura de um diretor-médico, que responderá em última instância pela qualidade do atendimento e verificará se o médico recebeu os honorários combinados para o atendimento.

Os aplicativos devem ainda se adequar às regras da publicidade médica. É proibida a divulgação de valores de consultas ou procedimentos em anúncios promocionais, pois, para o CFM esse fato gera concorrência desleal.

Segundo Emmanuel Fortes, a relação das tradicionais visitas domiciliares se altera com essa nova forma de atendimento, e pondera:

“Essa nova modalidade traz grandes desafios, pois há diversas variáveis que fazem com que seja muito tênue a linha divisória entre o que é ético e o que não é ético no exercício profissional. Por isso, é essencial que o CFM regulamente o que deve ser obedecido pelos aplicativos e pelos médicos.”

Apesar de já existirem serviços desse tipo no Brasil, não havia regulamentação específica.

FONTE: Conselho Federal de Medicina

Computação Cognitiva e a Saúde

Recentemente a IBM e o Hospital do Câncer Mãe de Deus, localizado no sul do país e referência no tratamento oncológico no Brasil, anunciaram a parceria para utilização do poder da computação cognitiva no combate ao câncer.

Uma revolucionária tecnologia que vem sendo desenvolvido pela IBM por anos, o IBM WATSON, em sua versão WATSON for Oncology, poderá dar suporte e ajudar os médicos fornecendo opções de tratamentos baseados em evidências científicas mundiais.

O Watson for Oncology analisa um grande volume de dados estruturados e não estruturados e aponta alternativas de tratamento para cada paciente, trazendo portanto uma individualidade para cada caso registrado, melhorando o desempenho final do tratamento.

Esta plataforma não toma a decisão pelo médico, mas aponta as melhores alternativas e escolhas para o profissional da saúde, que ao final, toma a decisão pelo melhor caminho a se tomar para cada paciente, mesmo assim, o Watson for Oncology pode contribuir de forma substancial na melhor qualidade de vida de pacientes oncológicos.

No Hospital do Câncer Mãe de Deus, os médicos poderão utilizar a plataforma para obter informações sobre tratamentos de 7 tipos de câncer: colo do útero, pulmão, mama, intestino, reto, estômago e ovário e isso é apenas o começo, pois o hospital quer atingir 18 diferentes tipos da doença em mais alguns meses.

As plataformas de computação cognitiva e inteligência artificial vem ganhando espaços cada vez maiores no cotidiano das pessoas e podemos considerar que estamos apenas engatinhando nesta nova modalidade de ajuda.

Eu arriscaria dizer que em um futuro não muito distante, estaremos realizando nossas pré-consultas com plataformas inteligentes que poderão nos diagnosticar em segundos, sem sairmos de casa.

É a tecnologia em favor da ciência e da saúde buscando a melhoria de vida de bilhões de pessoas.

fonte: Saúde Business