Cartões, pagamentos e saúde

O avanço da tecnologia no mundo de pagamentos tem dado abertura à novas soluções para todos os nichos de mercado, inclusive para a saúde.

O recente lançamento do projeto DoctorPay, desenvolvido pela CloudMed em parceria com a CloudWalk, promete aliar soluções de pagamento com ferramentas relacionadas à saúde visando melhorar e facilitar o dia-a-dia financeiro de clínicas e consultórios médicos, ou ainda, qualquer estabelecimento que tenha alguma ligação com saúde, até mesmo para Petshops.

O principal recurso que o DoctorPay apresenta é a possibilidade de dividir o pagamento em diferentes contas diretamente na maquininha, ou seja, um pagamento realizado por um cliente pode ser direcionado para uma ou mais contas diferentes, facilitando em muito o controle de recebimentos, principalmente em clínicas onde atendem vários profissionais de saúde.

Tal recurso permite, por exemplo, usar uma mesma maquininha de cartões, para recebimentos para múltiplos recebedores, evitando assim o aluguel ou a compra de várias maquininhas de cartões, ou ainda, dividir um pagamento de um procedimento com um médico, um anestesista e com a clínica. Este último exemplo é muito útil para clínicas que administram os recebimentos e faz a liquidação de valores aos profissionais que ali atende.

A inovação vem por conta dos recursos de registro de recebimentos em dinheiro e cheques, inclusive pré-datados, na mesma maquininha que faz os recebimentos em cartões de crédito e débito.

DoctorPay ainda conta com uma plataforma WEB de gestão de recebíveis, em tempo real, ou seja, todos os recebimentos registrados pela maquininha, são imediatamente lançados em um portal de controle de transações, com várias opções de filtro e consultas, ótimo para quem ainda trabalha com anotações manuais ou planilhas eletrônicas e vive perdido nos números.

A possibilidade de divisão de pagamentos em diferentes contas pode ser muito útil também para profissionais que queiram manter um controle de recebíveis diferentes para recebimentos da pessoa física e da pessoa jurídica.

A solução não cobra aluguel de maquininhas, apenas uma assinatura mensal que dá o direito de uso de toda a plataforma, incluindo uma máquina de cartões no modelo de comodato e para alavancar o projeto, a CloudMed está oferecendo 6 meses de isenção de assinatura para os novos credenciamentos até o dia 31/12/2017, então se você tem interesse em conhecer a solução, corre lá no site, preenche o formulário e comece 2018 fazendo diferente.

Para maiores informações acesse o site do projeto: http://www.doctorpay.com.br

 

Teste faz com que uma única gota de sangue detecte 13 tipos de câncer

Tendo em vista que o câncer é uma doença a qual se mostra desafiadora tanto para a medicina quanto para a tecnologia por se dividir em dezenas de tipos e, muitas vezes, precisa ser diagnosticado rapidamente para que o paciente tenha chances de se recuperar, a ciência consegue criar um sistema que exige uma única gota de sangue da pessoa para que ela seja testada para 13 variações de câncer.

O projeto está sendo desenvolvido pela equipe do laboratório Exiqon e utiliza as diferenças de informações contidas no microRNA – também conhecido como miRNA – para detectar múltiplas categorias da doença com uma precisão de até 95%. Entre os tipos de câncer analisados pelo novo teste clínico temos: câncer de mama, pulmão, estômago, esôfago, fígado, pâncreas e muitos outros.

Vale notar que os experimentos iniciais da empresa foram feitos com amostras de sangue congeladas de 40 mil pacientes. Como alguns pesquisadores acreditam que esse recurso pode apresentar pequenas alterações na estrutura do miRNA, a companhia pretende engatar uma nova bateria de testes muito em breve.

Segundo Yet Takahiro Ochiya, chefe da Divisão de Medicina Molecular e Celular do NCC, a grande mudança trazida por um projeto como esses é realmente a capacidade de um único teste conseguir trabalhar com tantas variações diferentes da doença. Além de limitar o estresse dos indivíduos durante o diagnóstico, isso deve permitir que os médicos identifiquem e analisem o estágio atual do câncer de seus pacientes de uma forma bem mais rápida e precisa.

Telemedicina

Ser diagnosticado por médicos a distância, através de videoconferência, já é realidade para o Sistema Médico da Universidade de Maryland.

Um morador de 25 anos do Condado de Cecil, localizado em Maryland nos Estados Unidos, chegou ao Hospital da União com sintomas de gripe e dificuldade para respirar. Pouco tempo depois dois médicos escanearam seus sinais vitais e perceberam baixo nível de oxigênio, além de sangue saindo de seus pulmões. Os dois médicos estavam a cerca de 96 quilômetros do paciente, em frente a 8 monitores e diversos computadores na Universidade de Maryland.

Rapidamente foi acionado um helicóptero para levar o paciente para o Centro Médico da Universidade de Maryland, onde foi medicado com antibióticos contra infecção bacteriana e colocado em uma maquina de respiração artificial.

O sistema de Telemedicina permite que médicos usem videos de alta qualidade e criptografados para monitorar pacientes em tratamento intensivo e melhorar a qualidade de atendimentos durante a noite e em fins de semana.

Com o serviço é possível que pacientes e médicos de setores rurais consigam consultar com especialistas e com hospitais melhor equipados, podendo tornar os planos de saúde mais acessíveis e diminuir custos para pacientes.

Projeto Torino

O conhecimento sobre programação se torna cada vez mais difundido, a cada dia que passa aumenta o número de pessoas estudando para entender melhor como codificar.

Hoje em dia a maioria das crianças que são introduzidas ao mundo da programação o fazem através de ferramentas simples que lhe permitem arrastar e soltar blocos de comandos.

A partir disso surgiu o projeto Torino, desenhado para crianças que possuem a visão prejudicada conseguirem participar em aulas de programação e se tornarem profissionais da área.

A programação sempre foi considerada uma opção de carreira promissora para pessoas com a visão prejudicada, mas nos últimos anos ficou dependente de gráficos, imagens e métodos de codificação conceitual, dificultando a entrada dessas pessoas na área.

A Organização Mundial de Saúde estima que existem 285 milhões de pessoas no mundo que possuem a visão prejudicada e a grande maioria dessas pessoas vivem em condições de baixa renda.

Através de programas como o Torino, é possível facilitar o ingresso dessas pessoas nas áreas relacionadas a tecnologia e suprir uma crescente demanda de profissionais qualificados.

Conheça o SmartReab – A tecnologia móvel que já monitoriza doentes respiratórios crônicos em Portugal

              O novo sistema desenvolvido pela Fundação Vodafone Portugal tem importante papel na melhoria da qualidade de vida de milhares de doentes crônicos portugueses.

      O Sistema de Telemonitorização SmartReab implementado no Serviço de Pneumologia do Centro Hospitalar Lisboa Norte, irá permitir prolongar a monitorização da atividade física para lá do ambiente hospitalar, acompanhando e incentivando com segurança o doente a manter-se ativo no seu ambiente domiciliário e na comunidade em que se insere.

              Nos doentes respiratórios mais graves, o Sistema SmartReab permitirá também ajustar a adequação dos níveis de oxigênio necessários para aqueles que cumprem esta terapêutica diariamente.

         Fátima Rodrigues, Coordenadora da Unidade de Reabilitação Respiratória do Hospital Pulido Valente (HPV), local onde se tem desenvolvido a implementação do sistema SmartReab, enaltece a importância para a equipa clínica da disponibilização de informação constante e do incremento à atividade física  -“Proporciona dados em tempo real, de forma contínua, nos quais o doente está em ambiente domiciliário e em comunidade. Para além de sinalizar ocorrências anômalas, permite também incentivar, com segurança, o aumento da atividade física e acompanhar o benefício obtido pelos Programas de Reabilitação Respiratória, na adoção de hábitos de vida saudável.”

        Através do aumento da atividade física, estima-se que o Sistema SmartReab contribuirá, a médio e a longo prazo para:

  • Promover um estilo de vida saudável nos doentes respiratórios crônicos;
  • Reduzir o número de episódios de urgência face a um melhor controlo clínico, minimizando as agudizações da doença respiratória;
  • Reduzir o número de episódios de internamento como consequência da redução dos episódios de urgência.

Veja o vídeo:

Saúde na CES 2017

No inicio do ano ocorreu a CES 2017 em Las Vegas, contando com centenas de inovações tecnológicas pensadas especificamente para a melhoria da qualidade de vida das pessoas.

Abaixo listamos algumas dessas tecnologias:

SmartCane: Uma bengala projetada para pessoas com Parkinson, conta com vários sensores de movimentos, incluindo acelerômetro e giroscópio. Além disso, caso o usuário sofra uma queda, o dispositivo possui conexão direta com redes GSM e alertam os familiares ou cuidadores por chamada, SMS ou email, além de incluir a localização da queda utilizando um chip GPS que está no dispositivo.

Active Protective: Pacientes com Parkinson são suscetíveis a quedas e, como resultado, se machucam muito. O dispositivo é um cinto que identifica que o usuário está caindo e libera um airbag em volta do quadril frações de segundo antes do impacto.

Aira: Esse dispositivo foi projetado para ajudar todos que possuem problemas com visão. Através de um par de Óculos Inteligente ou uma camera de telefone o sistema transmite tudo que a pessoa cega “enxerga” em tempo real para um Agente Aira, esse por sua vez conversa com o usuário dando direções e avisando o que está ocorrendo a sua volta.

Bloomlife: Um dispositivo feito para grávidas, usado para medir as contrações através da leitura da atividade elétrica do músculo uterino. As informações coletadas pelo dispositivo são enviadas para um smart phone que deve ser pareado previamente. Dessa forma fica mais fácil de identificar se a contração é alarme falso, como as contrações de Braxton Hicks.

Ao que tudo indica a área de saúde irá contar com muitas novidades em um futuro próximo, novidades que irão impactar de maneira positiva na qualidade de vida das pessoas.

Emendas parlamentares reforçam o orçamento em saúde em 2016

A saúde pública brasileira em 2016 bateu recorde na destinação de emendas parlamentares em 2016. No total, foram aprovadas 14.521 propostas, 66% a mais que em 2015, quando foram contabilizadas 6.255. Houve um crescimento considerável em relação ao valor investido que também dobrou, passando de R$ 2,1 bilhões para 4,2 bilhões em 2016. Segundo o Ministério da Saúde, o maior aproveitamento das emendas parlamentares se traduz na ampliação do acesso da população aos serviços públicos de saúde, como mais leitos, mais Unidades Básicas de Saúde (UBS), entre outros.

Em 2015 das 10.800 propostas, 6.255 foram empenhadas (58%). Já em 2016, das 12.864 emendas apresentadas 12.406 geraram novos recursos ao Sistema Único de Saúde (96%). A maior parte do montante de 2016, 74%, foi destinado aos Fundos Municipais de Saúde para ações como custeio de serviços da atenção básica e média e alta complexidade, construção e ampliação de Unidades Básicas de Saúde (UBS) e  compra de equipamentos. Deste valor, 54% (R$2,2 bi) já foi enviado aos estados e municípios durante o próprio exercício.

O presidente Michel Temer autorizou a liberação de limites financeiros para o aprimoramento da saúde em todo o país. Foi a primeira vez, em anos, que o governo federal liberou este montante ainda no ano em curso. O Planalto sensibilizou-se com os desafios enfrentados pela pasta da saúde e liberou, inclusive, parte das emendas de bancada para melhoria do atendimento à população. Este valor foi incluído no orçamento da pasta de 2016 por deputados e senadores. A maior parte se refere ao custeio dos serviços de saúde, atendendo o pleito de gestores.

No Congresso Nacional, cada parlamentar tem direito a indicar para seus Estados, prefeituras e entidades, recursos que são liberados por meio de emendas parlamentares. Esses valores são destinados com a finalidade de apoiar as regiões no desenvolvimento de áreas como Saúde, Educação, Infraestrutura entre outras.

O Governo Federal também aprovou crédito suplementar de R$ 1,7 bilhão para ações de assistência ambulatorial e hospitalar em todo o país. O orçamento para este ano previa déficit de dois meses no pagamento desses serviços e, com a medida, levada ao Congresso Nacional pelo Ministério da Saúde, estados e municípios receberam integralmente os recursos para fechar o ano.

Gestão

Desde que assumiu a pasta, o ministro Ricardo Barros, em pouco mais de 200 dias de gestão, a partir da adoção de medidas administrativas e renegociação de contratos, alcançou economia de R$ 1,9 bilhão, valor que foi reaplicado na saúde, como a ampliação da oferta de medicamentos, custeio de Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) 24 h e aberturas de novos serviços em Santas Casas.  Esse esforço, somado ao crédito suplementar, garantiu que o Ministério da Saúde cumprisse todos os compromissos orçamentários previstos para o ano, sem comprometer o orçamento para 2017.

Para 2017, a proposta orçamentária em tramitação no Congresso Nacional prevê pelo menos R$ 4,6 bilhões de emendas parlamentares destinadas ao setor. O valor já está somado ao orçamento federal previsto na PLOA para o ano que vem que será de R$ 115,7 bilhões. Com informações da Agência Saúde.

FONTE: FÓRUM SAÚDE DIGITAL